15 junho 2008

A.Atlética Guaxupe: Empate em Perdões tira a equipe da Copa Record.


TEMPO NA CIDADE
===================================================================
A partida da volta das semifinais da 7ª Copa Record de Torcida Apoiou e Cobrou a equipeFutebol Amador levou ao estádio Taiobão na cidade de Perdões, um número significativo de torcedores, que incentivaram a equipe desde o início.

Torcedor quando vai ao estádio quer ver a rede balançando e quando isso demora a acontecer, a impaciência começa a ganhar espaço e a cobrança vem.
Foi essa cobrança que o Independente ouviu de seus torcedores, que viam nesta manifestação uma maneira de estimular o time.
Gilson Bras, representante da Liga
Com o regulamento da competição embaixo do braço, o time tricolor se fechou na defesa e esperava a equipe da A. Atlética. O time de Guaxupé, comandado por uma equipe de treinadores, aceitou de pronto o convite do Independente, indo ao ataque e pressionando o tricolor.

Se a pressão era grande, a pontaria e o fundamento primordial do futebol eram pecaminosos e as finalizações eram precipitadas ou feitas para longe do gol defendido por Eder.

A Atlética com essa atitude permitia que o esquema bolado por Amarildo desse um resultado parcial, ou seja, jogar nos contra ataques explorando a velocidade dos jogadores Marcinho pela esquerda e Mangava pelo meio da defensiva Atleticana.Pratinha, bom meia.

Essa jogada tinha por objetivo chegar o mais próximo possível do gol onde Cleberson Bujato trabalhava, recuar a bola para o chute a gol dos homens de meio campo Pratinha e Heron.

Porém, mesmo sem contar com Parma, a Atlética se comportava bem com Deninho pela ala esquerda e Charlinho improvisado pela direita, com a boa cobertura de Silvinho e Kito que neutralizavam a grande maioria das jogadas do Independente. Faltava alguém na equipe tricolor para tentar mudar esta forma de agir dentro de campo e surpreender o elenco guaxupeano.

O primeiro tempo chegou ao final sem muitas emoções, a não ser duas ou três defesas difíceis para cada goleiro e o placar de zero a zero foi justo.Faltou só o gol! Atletica fica de fora da final
No tempo final, quando todos no estádio esperavam que a equipe tricolor de Perdões viesse mais a frente e Pratinha chegasse mais perto de Mangava, apoiando a peça ofensiva do Independente, as coisas se inverteram e quem veio mais atrevida foi a Atlética.

O time voltava para tentar pregar a mesma peça que recebeu em Guaxupé, quando perdeu pelo placar mínimo para o adversário.

As modificações promovidas pelos treinadores, tanto da Atlética quanto pelo Independente, não renderam o que se esperava, as defesas continuaram a se sobrepor aos atacantes.
O time guaxupeano tentando chegar e sem um homem gol e tomando contra golpes rápidos, as duas peças de criação muito longe dos ataques, facilitavam a vida das defensivas e vez ou outra os goleiros faziam grandes intervenções quando a bola era chutada de longe.
O melhor lance do jogo foi quando o meia Pulú, que entrou no lugar de Heron, tentou de longe, Bujato deu troco, o ala Nono perdeu gol feito, colocando a bola no travessão, canto alto esquerdo de Bujato. Assim o jogo chegou ao final com o placar "OXO", classificando a equipe do Independente de Perdões.
Ao final do tempo normal, o Independente deu graças a DEUS pelo apito que encerrou a disputa, o time correu muito e os jogadores não teriam pernas para uma prorrogação.

O adversário do Independente é nada mais nada menos, que a melhor equipe da competição, o TAC da cidade de Três Pontas, que passou pelo Internacional F. C. de Campo Belo, pelo placar de conta de pescador, Sete a zero.

A Segurança esteve a cargo da Polícia Militar de MGA tranqüilidade do jogo não foi quebrada em Amarildo, mais uma finalmomento algum, o grande número de policiais presentes mostrava que a partida foi considerada de risco pela diretoria do Independente, por conta do incidente no jogo de ida em Guaxupé. Mais tudo não passou de suposições.

O treinador Amarildo chega a mais uma final de um evento esportivo organizado pela Liga Sulmineira de Futebol Amador, enquanto que Associação Atlética de Guaxupé começa a repensar a fazer planos para o próximo semestre, quando teremos a Copa Bandeirantes.


As equipes entraram em campo assim:

Independente-FinalistaINDEPENDENTE – Eder, Juninho, David, Mi e Nono, Wesley, Preto, Heron e Pratinha, Mangava e Marcinho– Técnico – Amarildo.

A.A.GUAXUPÉ – Bujato, Charlinho, Leandrão, Beto, Deninho, Silvinho, Kito, Rodrigo e Hebinho, Euzébio e Geovaninho – Técnico – Juca.

A primeira partida da final acontece no domingo, em Perdões, a equipe do Independente precisa vencer e buscar o empate em Três Pontas, missão difícil.


Não é hora de sair à caça as bruxas, se as modificações não surtiram o resultado esperado, pelo menos alguém tentou algo, inovou, mais...!
O que a competição deixa de ensinamento é aquilo que já vimos em outras oportunidades, a equipe Guaxupeana treina jogando e o time se acerta ao longo da disputa.
A disputa simultânea de competição municipal contribuiu para tirar valores importantes da equipe neste semestre.

Um comentário:

joao carlos disse...

ae tudo bem tenho 18 estou treinado no radium fc vou pra ai 21 fazer um teste sera que tenho posibilidade de ficar ai ?valew